Mitos e verdades sobre sistema solar fotovoltáico

Com o grande crescimento do sistema solar fotovoltaico no Brasil e no mundo, surgem muitas dúvidas à respeito e nem sempre é fácil distinguir o que é verdade ou não.

Por isso vamos apontar as principais dúvidas que nos perguntam e responder de forma simples e direta.

Mitos ou verdades sobre sistema conectado à rede (On-Grid)

Mito. Segundo o art 7º da Resolução Normativa n° 687/2015 da Aneel deve ser cobrado, no mínimo, o valor referente ao custo de disponibilidade para o consumidor do grupo B, ou da demanda contratada para o consumidor do grupo A, conforme o caso. Isso significa que, consumidores residênciais pagaram em torno de 70 a 100 reais mínimos de acordo com o seu tipo de instalação.

Verdade. Através do sistema de compensação de créditos, o cliente pode instalar o sistema fotovoltaico em uma de suas propriedades e abater em qualquer outra que o medidor de energia esteja no seu nome e dentro da área da concessionária.

Verdade. Diversos bancos possuem linhas específicas com taxas de juros mais baixas e condições de pagamentos melhores.

Verdade. Com taxa de juros mais baixas para sistema fotovoltaico e até 60 meses para pagar, a maioria dos financiamentos chegam a ficar bem próximo do valor da conta de energia, variando para um pouco menos ou um pouco mais.

Mito. Para garantir a segurança dos técnicos que podem fazer manutenção na rede em caso de falta de energia, o sistema fotovoltaico se desliga automaticamente para evitar de injetar energia elétrica na rede enquanto eles trabalham.

Verdade. O usuário que gera energia solar e injeta esta na rede ficará isento de pagar ICMS na sua conta (exceto os estados de Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo, Amazonas e Amapá) de energia de acordo com lei prevista no Convênio de ICMS 16/75, de 22 de abril de 2015.

Verdade. As concessionarias fazem essa compensação de crédito sem nenhum problema. Apesar do que muitas pessoas acreditam, as concessionárias também são beneficiadas por essa energia excedente que é gerada pelo sistema fotovoltaico. Esses créditos gerados tem validade de 60 meses e essa compensação está prevista no Art. 2º. da Resolução Normativa nº 687/2015 – Aneel III – sistema de compensação de energia elétrica: sistema no qual a energia ativa injetada por unidade consumidora com microgeração ou minigeração distribuída é cedida, por meio de empréstimo gratuito, à distribuidora local e posteriormente compensada com o consumo de energia elétrica ativa.

Mito e mito. Atualmente não é possível vender energia para a concessionária, apenas fazer compensação de créditos de energia excedente e é visto como crime a venda de energia fotovoltaica para outros consumidores.

Verdade. Mesmo em dias nublados, havendo irradiação solar suficiente nas placas, elas podem gerar energia.

Mito. Com o microinversor, tem-se uma economia de alguns equipamentos na instalação e algumas vantagens na geração da energia, porém ainda é uma tecnologia nova e há necessidade de utilizar vários microinversores, o que torna o preço do sistema mais elevado.

Verdade. A linha de crédito PRONAF libera financiamento para produtores rurais que querem implantar um sistema fotovoltaico.

Verdade. Há necessidade de uma manutenção mínima que se trata apenas de limpeza das placas para retirar acúmulos de poeiras e eventuais sujeiras que podem atrapalhar a geração. Essa limpeza é aconselhável fazer pelo menos 2 vezes por ano e é feita apenas com água, sem utilização nenhuma de produtos.

Mito. As placas não ficam em contato com nenhum tipo de telhado, as estruturas que suportam as placas são fixadas diretamente nas estruturas (vigas) da construção independente do tipo de telha.

Verdade. As placas são muito resistentes, são feitas para aguentar grandes impactos, granizo não traz nenhum problema.

Mito. A energia fornecida pelo sistema é controlada pelo inversor, que fornece uma energia igual a da concessionária.

Mito. Nem aumento nem diminuição do consumo traz problemas ao sistema fotovoltaico. A diminuição do consumo resultará em mais créditos, o aumento do consumo resultará em possível aumento da conta de energia.

Mito. O sistema fotovoltaico produz energia elétrica que pode ligar os equipamentos para aquecimento de água, mas não esquenta a água diretamente como um sistema solar térmico que apenas aquece a água.

Mito. A produção de energia é relacionada com a irradiação solar. Um dia quente não significa necessariamente mais luz solar que um dia frio.

Verdade. É comum ver sistemas fotovoltaicos montados no solo. Há estruturas próprias para esta montagem que não traz problema algum, só é necessário um cuidado extra com possível sombreamento e animais.

Antes de continuar você pode estar com dúvida sobre o que é um sistema fotovoltaico conectado à rede.

De forma bem simples vamos entender o que é esse tipo de sistema e quais as principais características e diferenças em relação a um sistema desconectado à rede.

Um sistema fotovoltaico conectado à rede (On-Grid) é um sistema onde o consumidor gera a sua energia durante o dia e recebe energia da concessionária durante a noite. Porém durante o dia o sistema fotovoltaico produz energia em excesso que é injetada na rede gerando créditos que serão compensados a noite ou alguma dia com baixa irradiação solar. Esse tipo de sistema traz mais benefícios financeiros como um retorno mais alto e mais rápido.

Um sistema fotovoltaico desconectado à rede (Off-Grid) é um sistema aonde o consumidor possui bancos de bateria para armazenar a energia para utilizar a noite ou em dias de baixa irradiação solar. Esse tipo de sistema é muito utilizado aonde não chega rede de energia de alguma concessionária, em fazendas ou ranchos por exemplo. É um sistema mais utilizado em casos de necessidades, por depender de baterias, reduz seu retorno financeiro.

Ambos os sistemas utilizão o mesmo tipo de placas solares fotovoltaicas, a principal diferença é que um sistema funciona junto com a rede de energia e o outro possui baterias para ser totalmente independente.

Sabendo as principais diferenças, vamos dar continuidade aos mitos e verdades, agora abordando o sistema off-grid.

Mitos ou verdades sobre sistema desconectado à rede (Off-Grid)

Verdade. Com o sistema desconectado à rede, o consumidor não tem ligação com a concessionária, assim, poderá optar por não ter conta de energia.

Mito. O aumento do consumo não irá danificar o sistema, porém por ser um sistema isolado e que depende de bateria, ele possui um limite de capacidade de geração conforme projetado. O sistema pode não ser capaz de suprir energia suficiente para abastecer o aumento do consumo não previsto no projeto.

Mito. Apesar do que muitos acreditam, não se pode usar baterias de caminhão ou ônibus para sistemas fotovoltaicos. O sistema irá até funcionar, porém deve se usar uma bateria própria que foi feita para suportar o descarregamento por completo varias vezes. Bateria de automóveis foram feitas para ficarem sempre carregadas e fornecer uma alta corrente elétrica em um curto tempo, já as baterias próprias pra energia solar liberam energia de forma mais suave e duram mais tempo.

Verdade. É recomendado o uso de sistemas isolado para locais aonde haja necessidade devido a falta de rede elétrica ou sistemas aonde não possa sofrer desligamentos devido eventuais  quedas de energia.

Verdade. Embora utilize os mesmos tipos de placas, o sistema desconectado à rede requer manutenção nas baterias que pode resultar na necessidade de troca a cada 2 ou 3 anos.

Verdade. O tempo de autonomia do sistema sem sol depende do dimensionamento do projeto, aumentando ou não a quantidade de baterias.

Mito. Por ser uma geração isolada da rede, não há necessidade de autorização da concessionária, porém é preciso que seja feito por profissionais capacitados para evitar riscos de acidente?

Simule você mesmo de forma muito simples e instantânea seu sistema fotovoltaico On-Grid!