Dispositivo de proteção contra surtos (DPS), como funciona?

Dispositivo de proteção contra surtos (DPS), como funciona?

Os surtos elétricos acontecem devido a vários fatores, como as descargas atmosféricas que atingem redes elétricas, partidas de grandes motores e outras anomalias que podem ocorrer nas instalações elétricas.

Como funciona um DPS?

O DPS é um dispositivo de proteção contra surtos elétricos, que é essencial para proteger os equipamentos elétricos e eletrônicos, evitando com que eles queimem.

Existem três classe de DPS, mas o princípio de funcionamento de todos eles é basicamente o mesmo, sendo que o dispositivo de proteção contra surto funciona a partir da interação entre seus componentes e materiais internos, como o varistor que desempenha um trabalho fundamental para o funcionamento do DPS.

O varistor é um resistor elétrico que depende da tensão para mudar o valor de sua resistência, quanto maior a tensão menor a oposição à passagem da corrente elétrica, e quanto menor o valor da tensão maior será a resistência. A maior vantagem do varistor é o seu tempo de resposta, que é extremamente rápido.

Quando o surto acontece na rede a tensão é extremamente alta, com uma tensão tendendo ao infinito passando pelo DPS sua resistência tende a zero, assim oferecendo um caminho com menor oposição à passagem da corrente elétrica, escoando toda essa energia pelo sistema de aterramento, é desta forma que o varistor atua dentro do dispositivo de proteção.

É importante entender que o DPS desvia o surto elétrico para o sistema de aterramento, este desvio ocorre em uma velocidade muito rápida, em uma fração de segundos, dessa forma o disjuntor não é acionado, pois o tempo não é suficiente para detectar esta fuga pelo sistema de aterramento, por isso o DPS só funciona com fase conectado de um terminal e terra conectado no outro.

Quando o DPS é acionado ele fecha um curto entre fase e terra, porém este período de tempo é extremamente curto, como citado anteriormente. Portando de forma alguma este curto causado pelo dispositivo de proteção ocasiona em algum dano na instalação.

Assim como todo dispositivo o DPS também chega ao fim sua vida útil, quando seu circuito interno já não consegue realizar o fechamento entre fase e terra com extrema velocidade.

O maior problema é em casos quando o dispositivo de proteção queima e o curto entre fase e terra é permanente, por esse motivo existe a necessidade de possuir instalado no circuito um dispositivo de desconexão.

Dicas de como escolher o DPS correto.

Ao escolher um DPS deverá ser levado em consideração muitos fatores, como em qual local será instalado o dispositivo, para poder determinar qual a classe que deverá ser utilizada, além dos principais fatores que devem ser determinados, como qual será a máxima tensão de operação do dispositivo e sua máxima corrente de descarga.

Como o DPS evita com que um raio entre em uma instalação?

Embora o surto de energia ocasionado pelas descargas atmosféricas seja muito alta não existe problemas, pois o DPS é feito para suportar altas correntes, que chegam a Kiloampere.

O princípio de funcionamento é o mesmo, como em qualquer outro surto elétrico, assim que o dispositivo de proteção constatar esse altíssimo pique de energia na rede ele desvia toda ela pelo sistema de aterramento.

 

Matéria de Mundo da Elétrica | bit.ly/2LO4kTR

Share this:

Deixe um comentário